Longe é um lugar perto que se chega com paciência.”  Fábio Ibrahim El Khoury

Na maioria das vezes a criança com APLV melhora totalmente com o tempo. Após um período de dieta restrita, que é variável, a criança adquire tolerância e isto significa que a criança não reage clinicamente mais à proteína, ou em outras palavras, não apresenta mais sintomas quando em contato com a proteína, está “curada”.

É muito frequente que os pais façam essa pergunta logo ao diagnóstico, MAS, uma vez que houve aceitação da alergia por parte da família e o convívio ficou harmônico com os alimentos (isso ocorre sempre que houver informação de qualidade e um bom suporte profissional), a preocupação dos pais em relação à “cura” fica muito menor.

Assim, de acordo com a Sociedade Européia de Gastroenterologia e Nutrição Pediátrica (ESPGHAN) de 2012:

  • 50% das crianças melhoram no primeiro ano de vida
  • 75% até os 3 anos
  • 90% até os 6 anos.

Se o diagnóstico estiver correto raramente ocorre melhora antes de 1 ano de idade.

A PRESSA É INIMIGA DO ALÉRGICO…

Vale à pena ler um bom texto sobre o assunto de uma das maiores nutricionistas especializadas em alergia, Renata Pinotti, em:

A cura da alergia às proteínas do leite de vaca

 

Related Posts

3 ovos 2 1/2 xícaras de açúcar 1 xícara de óleo 2 1/2 xícara de farinha de trigo 4 bananas bem ...
Redação Alergia a Leite
30 de março de 2015
Ingredientes 4 xícaras de farinha de trigo 1 colher (sobremesa) de fermento em pó 1 e 1/2 xícara de ...
Redação Alergia a Leite
27 de janeiro de 2015
Ingredientes 800 gramas de farinha de trigo (pode ser substituída por farinha de arroz) 1 colherinha ...
Redação Alergia a Leite
27 de janeiro de 2015
Pular para a barra de ferramentas