A única forma de tratar a APLV é fazer uma dieta TOTALMENTE ISENTA de alimentos que possuem as proteínas do leite de vaca e excluir todos os alimentos preparados com leite ou derivados, inclusive traços (leia Rótulos e produtos proibidos para explicação sobre o que são traços). Esta dieta deve durar no mínimo de 6

  Ingredientes derivados de leite Esses são alguns dos ingredientes que não podem ser consumidos por pessoas com APLV. Esta lista deve fazer parte da sua rotina de compras de alimentos. Verifique sempre se os alimentos que você está comprando possuem alguns desses ingredientes em sua composição. Devem ser analisados minuciosamente os ingredientes e não

Sim, as proteínas do leite de vaca ingeridas pela mãe, MESMO EM QUANTIDADES EXTREMAMENTE PEQUENAS podem estar presentes no leite materno e provocar reações em seus filhos… Os benefícios da amamentação são bem conhecidos: vínculo, desenvolvimento, respiração, paladar, imunidade, além dos benefícios de longo prazo com prevenção de obesidade e doenças cardiovasculares. Sim, o leite

Não use utensílios de plástico que já tenham sido utilizados para alimentos com as proteínas do leite. O plástico é um material poroso e adere mais à gordura e aos resíduos alimentares. Portanto, mesmo após a higienização, traços das proteínas do leite podem manter-se aderidos aos utensílios. Dê preferência ao inox, porcelana, alumínio ou vidro,

Não existe dieta mais ou menos. Quando ela está indicada ela deve ser realizada de modo rigoroso. “Só um pouquinho” não existe. Não deixe ou prepare nenhum alimento com a proteína do leite ao mesmo tempo que está preparando uma receita isenta da proteína. Não utilize um mesmo talher para mexer ou pegar algo com

Leve a sua boa e velha lista dos rótulos. Com o tempo e a prática pode ser que não precise mais dela. A legislação brasileira não obriga empresas a rotular traços, porém muitas delas já o fazem. Quando encontrar algum produto que “teoricamente” não rotula traços, desconfie, ligue para o SAC da empresa para certificar-se.

Apenas o médico que acompanha seu filho poderá lhe indicar a melhor fórmula para ele. A escolha da melhor fórmula depende da idade, do tipo de manifestação alérgica, da existência de comorbidades, do tipo de fórmula que já utilizou, da fase em que a criança se encontra, dos recursos, etc. Enfim, levamos em consideração inúmeros

Não existem medicamentos que tratam alergia. Não existem evidências convincentes que “vacinas” (imunoterapia) podem fazer a criança melhorar mais rapidamente da alergia. Os estudos que envolvem sua utilização estão restritos a centros de pesquisa, em crianças maiores de 4 anos e apenas em pacientes de alto risco para reações graves. Homeopatia não cura alergia. Mas,

Fazemos parte de uma cultura na qual a comida é algo de grande valor, quase todas as reuniões e encontros sociais são marcados por almoços, jantares ou cafés, entretanto, nem sempre é fácil conviver com isso quando há o diagnóstico de APLV. Mas qual é a solução? Excluir-se? De forma nenhuma, o ser humano é

Seu filho tem direito à merenda escolar adaptada e segura pois é portador de necessidade nutricional especial. LEI 12.982/2014, que entrou em vigor no fim de agosto/2014, complementando a lei 11.947/2009, referente ao direito à merenda escolar adaptada e segura para crianças com necessidades nutricionais específicas: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L12982.htm http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l11947.htm Algumas mães se juntaram e, com experiências