Por onde começar

Em primeiro lugar entenda que a alergia alimentar é considerada hoje um problema muito comum. São inúmeras as redes sociais que abordam o tema e certamente você conhecerá outras crianças com problemas semelhantes. Mas não existem dois casos iguais, cada criança tem uma sensibilidade e, portanto, uma reação diferente.

Na maioria das vezes a alergia não é grave e melhora com o tempo.

Com informação adequada e um bom apoio profissional em geral não há necessidade de inúmeros exames, “agulhas”, “injeções” ou medicamentos de uso contínuo. O tratamento é totalmente nutricional. E trata-se de uma nutrição muito saudável que certamente vai repercutir positivamente no futuro da criança. Com a abordagem correta não há sofrimento para a criança.

Claro que a grande expectativa é que tenhamos um filho perfeito, sem defeitos, com visão normal, inteligente, sem manchinhas, sem alergia…

A tensão causada pela percepção de que o filho não está bem, a culpa e a frustração dos pais é que são os maiores obstáculos para a melhora da criança. A informação e aceitação são nossos maiores aliados.

A seguir, resumimos os passos mais importantes para os pais se orientarem e para que tudo dê certo com seus bebês.

Passo a passo da APLV

  1. Principal: procure um bom pediatra ou gastroenterologista pediátrico que seja capaz de acompanhar, apoiar e orientar sobre a APLV. Seu filho merece uma consulta bem feita, com tempo adequado e merece ter um pediatra disponível e atencioso. Deste acompanhamento deve surgir um vínculo que vai desde o diagnóstico até a melhora completa.
  2. Conheça a APLV através de fontes de informação seguras. Quanto mais informação correta maior a segurança.
  3. Conheça os alimentos e os rótulos dos produtos que precisam ser retirados da dieta.
  4. Conheça os cuidados especiais no modo de preparo, os cuidados com os utensílios, cosméticos e medicamentos.
  5. Elabore um cardápio positivo, com as coisas que são permitidas.
  6. Não se afaste das pessoas queridas, informe-as.

9 thoughts on “Por onde começar

  1. Tamiris Fontoura
    1

    Parabéns! Sou mãe de um bebê aplv e aqui obtive muitas informações diretas e bem claras que vão auxiliar muitas mamães e a todos que buscam mais informações.

  2. 3

    Estou adorando me esclarecer deste assunto. Porém fico chateada de não ter coisas disponíveis em mercado. E das pessoas não especificarem direito nos rotulos. Meu filho tem 3 anos e só agora descobrimos.

    • 4

      Você tem toda razão!
      Não deixe de acompanhar a página da PÕE NO RÓTULO e divulgar, conversar com pessoas. Vamos ampliar a discussão e o conhecimento sobre alergia na nossa sociedade.
      Abraço, Magno

  3. 5

    Ola!minha filha tem 3 anos e so agora descobrimos a alergia ao leite estou meia perdida pois não,são todos os alimentos q vem,especificando qual,os ingredientes q contem e pior a cidade onde moro não,tem nada q seja de soja alem,do leite!muito difícil,mesmo mas estamos nos adequando e procurando lugares onde possa encontrar danones bolachas e etc..obrigada!

  4. 7

    Muito bom esse site me ajudaram muito .

  5. 8

    Boa tarde, Dra. Camila!
    Meu nome é Thyenne e tenho um bebê de 6 meses e meio chamado Davi. É um menino super saudável. Nunca teve cólica, dorme a noite inteira desde os 2 meses, não é chorão, engraçado… um princepezinho. No dia 06/12 tomou a vacina de 4 meses. Com atraso de 1 mês em razão de uma gripe e viagens. Não posso precisar quanto tempo depois ele apresentou princípio de assadura. Vermelhidão ao fazer cocô. Até q por volta do dia 11 a ferida da assadura finalmente apareceu. Tentei tratar com todas as pomadas da farmácia: Dove, Hipoglos, Desitin, Nistatina, Pasta d’água, Bepantol… nada fazia com q a ferida regredisse. Levei-o ao pediatra. O médico pediu 2 exames: sangue oculto nas fezes e intolerância a lactose. A essa altura, com 6 meses, o Davi já comia sopinhas de legumes e algumas frutas. O resultado do exame de sangue oculto saiu no dia 24/11 e deu positivo. O médico mandou trocar as mamadeiras e dar Pregomin. Desde de o nascimento ele mamava NanHA. Eu não tive leite. Bom, o Pregomin melhorou a consistência do cocô. O exame de intolerância a lactose saiu. Negativo! Esperei uns dois dias e dei Nan pra ele de novo. Novamente o cocô ficou mole e o muco bem evidente. Voltei o Pregomin. O médico me alertou quanto a possibilidade de APLV. Continuei com o Pregomin e o cocô continuou mole. Busquei uma segunda opinião. A nova pediatra afirmou por b+c q se trata de APLV. Passou exames específicos para alergia ( ige total e específicos para bananna, leite e pera). Restringiu a dieta dele a leite. Apenas leite. E nos instruiu a nem chegar perto dele se tivermos ingerido leite. Lavar mãos e boca para pegá-lo. Ela falou para darmos Alfamino. Mas como ele havia custado a mamar bem o Pregomin, com aval dela, optamos por manter o Pregomin por mais uma semana. Alguns dias se passaram e o muco ainda estava lá. Mudamos o leite. Há 5 dias a alimentação dele se restringe a Neocate, sem sinal de melhoras no cocô. Continua mole e o muco persiste. E hj, ele fez cocô. Pura água, de forma q a fralda absorveu tudo. E uma assadura está se formando. Mas creio ter demorado para troca-lo. Nao percebi q ele havia feito cocô. Os exames sairam. Ige total 16,9. Específicos para leite e banana menores q 0,1. Não entendo nada. Mas não acho q seja APLV. Me sinto tão perdida… não sei mais o q fazer…

    Ganho de peso:
    Nasceu com 2,800kg
    2 meses: 5 kg
    3 meses: 6,3kg
    4 meses: 7,1kg
    5 meses: 7,4kg
    6 meses: 7,95kg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *