Diagnóstico

O diagnóstico de alergia alimentar nem sempre é tão simples (nem para o médico) e deve ser sempre avaliado por um profissional bem capacitado. A consulta é a base de tudo: do diagnóstico e do tratamento. Uma consulta mal conduzida pode gerar exames desnecessários, medicamentos desnecessários e terapia inadequada que vai gerar mais sofrimento e insegurança para a família.

O médico baseia-se principalmente na história clínica bem detalhada que, na maioria das vezes, é suficiente para fazer a suspeita de APLV.

Para confirmar o diagnóstico é preciso fazer a dieta de exclusão total e ocorrer melhora dos sintomas. Assim, o diagnóstico se confunde com o tratamento.

Após a melhora total dos sintomas realiza-se a reintrodução da proteína suspeita (teste de provocação ou desencadeamento oral que deve ser feito com critério) e se retornarem os sintomas, realiza-se o diagnóstico definitivo de APLV.

O teste de provocação nem sempre é necessário, por exemplo, quando: os sintomas são fortemente sugestivos de APLV; outras causas para os sintomas são improváveis; a melhora com a dieta foi marcante; e houve reação em casa bem caracterizada após um escape alimentar.

No entanto, após a suspeita de APLV e instituição da dieta de exclusão é preciso aguardar um tempo para que ocorra melhora dos sintomas. Os sintomas não somem no mesmo dia! As alterações intestinais causadas pela APLV demoram um tempo para sua cicatrização. O tempo mínimo de dieta necessário para que ocorra melhora dos sintomas é de até 14 dias. Quando os sintomas são sugestivos de reações imediatas, o tempo de dieta necessário para melhora é menor e em geral varia de 3 a 7 dias.

Criança em aleitamento

Para a criança que é amamentada, o leite materno deve ser mantido e a dieta da mãe deve ser de exclusão total da proteína do leite de vaca e da proteína da soja (ver seção Tratamento e em especial A mãe que amamenta para maiores detalhes). Lembrando que, após o início da dieta adequada, demora cerca de 4 dias para que não sejam mais identificados no leite materno, proteínas do leite de vaca e soja ingeridos pela mãe.

Crianças usando fórmulas infantis

Para a criança que utiliza fórmulas infantis, estas devem ser substituídas por fórmulas especiais como as fórmulas extensamente hidrolisadas, fórmulas de aminoácidos e fórmulas infantis de soja. Cada uma tem uma indicação específica (ver seção Tratamento e em especial Fórmulas para maiores detalhes).

Importante ressaltar que não ocorre prejuízo nutricional nenhum com uso das fórmulas para alergia se indicadas corretamente. Caso não se confirme a alergia elas podem ser retiradas a qualquer momento.

Algumas poucas vezes se podem utilizar exames laboratoriais (de sangue e testes alérgicos cutâneos) e mais raramente a endoscopia e/ou colonoscopia com biópsia intestinal.

O médico ainda deve excluir outras possíveis causas dos sintomas, avaliar a gravidade do caso e ser atencioso e disponível para atender à família e seus anseios pós-consulta.

 

Palavrinha sobre testes alérgicos

Os testes cutâneos (prick test) e a pesquisa de anticorpos IgE específicos através de exames de sangue (ImmunoCap®, antigamente chamados de RASTs) podem ser aplicados quando há suspeita de alergia alimentar IgE mediada (quadros de urticária, inchaço de olhos e face, chiado no peito, anafilaxia) e podem ser úteis para direcionar a necessidade de realizar um teste de provocação.

Quando são negativos significam que a probabilidade é alta da criança não ter alergia pelo mecanismo IgE, mas se a criança tiver alergia não IgE, mesmo sendo grave, o exame será negativo.

Quando positivos, indicam sensibilização e somente em 50% das vezes haverá uma relação causal entre o leite de vaca e o desenvolvimento do sintoma estudado. Ou seja, podem ser positivos e a criança pode já ter desenvolvido tolerância (melhorado da alergia), mesmo com exame positivo!

O exame cutâneo positivo indica então que há uma sensibilidade àquela proteína testada, mas pode não haver sintomas, pode haver tolerância. Em outras palavras a criança produziu anticorpos contra aquela proteína (exame positivo), ou seja, é sensível a ela, mas tolera bem e não desenvolve sintomas! Desta forma, nenhum alimento deve ser retirado da dieta apenas porque o teste cutâneo foi positivo.

Mais uma vez, lembramos que a maioria das alergias com manifestações apenas gastrointestinais, não são mediadas por IgE e o diagnóstico fundamenta-se na anamnese e exame físico detalhados, na melhora clínica na vigência da dieta de exclusão dos alérgenos e no teste de desencadeamento positivo, quando indicado. Ou seja, nestes casos (alergias não mediadas por IgE) não são necessários exames.

Exames positivos não indicam necessariamente que a criança apresenta alergia.

A dosagem de anticorpos IgG não possui função no diagnóstico de APLV e não é recomendado. Assim, cuidado com exames caros para múltiplos alimentos presentes no mercado, pois são muito sedutores, mas não são eficazes.

Não existe um exame ou teste que confirme isoladamente o diagnóstico de APLV

A base do diagnóstico é uma boa consulta e um acompanhamento com um profissional capacitado e atencioso.

A confirmação diagnóstica depende da melhora dos sintomas após a dieta de exclusão e da piora após a reintrodução.

14 thoughts on “Diagnóstico

  1. Rosangela Soares Lana
    1

    Bom dia!
    Tenho uma filha com dois anos e quatro meses, desde os seis meses de vida que acompanho sua alergia. Apenas de encostar qualquer produto com soro de leite ou leite, ela fica vermelha, com coceira e inchada. Ela é acompanhada por um alergista, mas não houve a ingestão de nenhum medicamento, apenas dieta de restrição e uso do leite aptamil pepti.
    Mas as vezes, fico preocupada se o tratamento esta correto.

    • 2

      Olá,

      O tratamento é evitar o que causa mal à sua filha.
      Medicamentos apenas se tiver reação e o ideal é não ter reação.

      Muito obrigado. Se tiver qualquer sugestão de melhora, por favor nos informe. Abraço.

  2. 3

    Muito bom!
    Obrigado!

  3. 5

    meu filho estar com 1 ano e 7 meses, após uma consulta a pediatra diagnosticou uma possível alergia ao leite, por ele estar com varias manchas na pele com coceira, e com diarreia. ela solicitou a exclusão do leite e derivados por 30 dias… e passou alguns medicamentos . fiquei preocupada por ela não ter feito nenhum exame de sange ou qual quer outro ante de pedir a exclusão, todos me questionaram tb… na verdade devo me preocupar ou confio na pediatra e espero 30dias? ja pensei em até levar a outro especialista para solicitar um diagnostico mais preciso…

    • 6

      É difícil uma opinião sem conhecer detalhes da história. Vá no melhor pediatra possível, seu filho merece.
      Os exames são inferiores à história clínica.

  4. Priscila Amaral
    7

    Olá!
    Te um bebê de 1 mês, desde seus 15 dias ele chora MUITO ao mamar, se contorce de dor e tem diarréia, são somente estes dois sintomas que consegui identificar, será que ele pode ter aplv?
    Obrigada.

    • 8

      É possível.
      Precisaríamos saber muito mais detalhes de toda a história e conhecer a criança para uma orientação adequada. Procure um bom gastropediatra na sua região.

  5. roberto carlos mendonca
    9

    QUEM TIVER ALERGIA AO LEITE DE VACA E ACUCAR NAO PODE TOMAR ELITE DE SOJA ESTA COMPOSICAO E TB DE LEITE VACA,.. SO PODERRA TOMAR LEITE PREGOMIN

  6. shirley Gomes de Freitas Meneguci
    11

    Milha filha de 4 meses tem assaduras recorrentes. Graças a Deus nada parecido com a severidade da foto e apenas localizada na área em contato com cocô. Com tratamento adequado elas melhoram, mas retornam mesmo com todos os cuidado de higiene. Pode ser caso de bebê aplv.? Ela mama exclusivamente peito

  7. alessandra moraes
    13

    Por favor me ajudem. Estou desesperada. Meu filho tem dois meses e meio e percebi que ficava mal quando eu ingeria leite e soja. Coceira nos olhos boca nariz, dificuldade para digerir, sofre muito ate conseguir fazer coco, e não quer mais mamar. Eu exclui leite e soja e ele teve melhora significativa. Ele sempre teve refluxo mas quando exclui ate o refluxo melhorava. Agora estão aparecendo mais alimentos que estão provocando os mesmos sintomas, ovo e depois trigo. Já não sei o que comer pois so toma leite materno. E o pior é que as pessoas não entendem nem mesmo minha família. Querem me obrigar a comer essas coisas. Me ajudem por favor. Preciso muito que alguém me indique algum medico em Florianópolis ou redondezas

    • 14

      Infelizmente a maioria das famílias ainda não entendem e não aceitam a alergia alimentar. Procure um bom gastropediatra em sua cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *