Não existe alergia à lactose. O que existe é a intolerância à lactose, que ocorre quando a criança apresenta deficiência da enzima lactAse (responsável por digerir a lactose) e, portanto, não consegue digerir a lactose inteiramente. Assim, é um problema de digestão (e não de alergia). Mais esclarecimentos na seção: Alergia à proteína do leite

É possível preparar receitas saborosas e com características semelhantes às convencionais. Para qualquer criança menor de 2 anos a base da alimentação é natural e constituída por frutas e papas com legumes, verduras, carnes, cereais e leguminosas. Assim, nesta idade, o foco é no cuidado com os utensílios, os contatos indiretos e a observação se

O diagnóstico de alergia alimentar nem sempre é tão simples (nem para o médico) e deve ser sempre avaliado por um profissional bem capacitado. A consulta é a base de tudo: do diagnóstico e do tratamento. Uma consulta mal conduzida pode gerar exames desnecessários, medicamentos desnecessários e terapia inadequada que vai gerar mais sofrimento e

Os sintomas podem ser os mais variados e podem ser divididos de acordo com o mecanismo imunológico envolvido, ou seja, de acordo com o mecanismo de defesa envolvido: Alergia mediada pelo anticorpo IgE Alergia mediada pelo anticorpo IgE (quando o corpo do bebê produz anticorpos chamados IgE para reagir às proteínas). Neste caso as reações são

Alergia significa hipersensibilidade, ou seja, ocorre uma reação exagerada do sistema imunológico do bebê a algo que o organismo dele interpreta como estranho. No início da nossa vida nosso intestino é imaturo em todos os aspectos (motilidade, sistema de defesa e até as bactérias que colonizam o intestino grosso ainda são escassas). Assim, como a

Em primeiro lugar entenda que a alergia alimentar é considerada hoje um problema muito comum. São inúmeras as redes sociais que abordam o tema e certamente você conhecerá outras crianças com problemas semelhantes. Mas não existem dois casos iguais, cada criança tem uma sensibilidade e, portanto, uma reação diferente. Na maioria das vezes a alergia

Apenas o médico que acompanha seu filho poderá lhe indicar a melhor fórmula para ele. A escolha da melhor fórmula depende da idade, do tipo de manifestação alérgica, da existência de comorbidades, do tipo de fórmula que já utilizou, da fase em que a criança se encontra, dos recursos, etc. Enfim, levamos em consideração inúmeros

Leve a sua boa e velha lista dos rótulos. Com o tempo e a prática pode ser que não precise mais dela. A legislação brasileira não obriga empresas a rotular traços, porém muitas delas já o fazem. Quando encontrar algum produto que “teoricamente” não rotula traços, desconfie, ligue para o SAC da empresa para certificar-se.

Não use utensílios de plástico que já tenham sido utilizados para alimentos com as proteínas do leite. O plástico é um material poroso e adere mais à gordura e aos resíduos alimentares. Portanto, mesmo após a higienização, traços das proteínas do leite podem manter-se aderidos aos utensílios. Dê preferência ao inox, porcelana, alumínio ou vidro,

Não existe dieta mais ou menos. Quando ela está indicada ela deve ser realizada de modo rigoroso. “Só um pouquinho” não existe. Não deixe ou prepare nenhum alimento com a proteína do leite ao mesmo tempo que está preparando uma receita isenta da proteína. Não utilize um mesmo talher para mexer ou pegar algo com